Vamos cuidar do nosso país. Extinguir a Funai é um bom começo


Refugiada centro-americana na fronteira mexicana (Foto: Reprodução tela GloboNews)


A imagem que ilustra este texto tomou conta das mídias mundo a fora nestes últimos dias. Uma imigrante centro-americana querendo entrar nos Estados Unidos como ilegal. Na sua lamúria junto aos soldados de fronteira, repetia que queria dar uma vida melhor para o filho. Uma vida melhor, segundo milhares de imigrantes que tentam entrar nos Estados Unidos, só mesmo na terra do Tio Sam. 

O drama dos refugiados, que amolece até o mais frio coração republicano nos Estados Unidos, poderia ser diferentes se, nos países de origem, não grassassem as políticas populistas e estatistas. Eivados de escândalos de corrupção, patrimonialismo e inchaço nas máquinas públicas, os países latino-americanos são generosos em fornecer os imigrantes que vão para os Estados Unidos tentar a sorte.

Por isso é importante fazer do seu país um lugar bom. Imitar as boas práticas que fazem os Estados Unidos serem o destino preferido dos imigrantes. Que tal experimentar o livre mercado de verdade? com privatizações, respeito aos contratos, valorização da liberdade e da propriedade privada?

Vamos acabar com a Funai?

A Fundação Nacional do Índio precisa ser extinta. Logo. Um órgão governamental que tem o único objetivo de manter seres humanos no mais pré-colombiano atraso. Sem acesso às maravilhas que a tecnologia e o mundo moderno oferece às pessoas. A Funai, como bem disse o Presidente da República, Jair Bolsonaro, aprisiona os índios como se eles estivessem em um "zoológico humano". 

Com qual direito a Funai e as diversas organizações não-governamentais ligadas à questão do índio mantém estes brasileiros cativos de um mundo que não existe mais? Por qual motivo os indigenistas, que se acham "seres iluminados", gostam de manter os índios presos à pré-história?

Os índios querem celular, televisão a cabo, netflix, caminhonetes e cosméticos. Querem jogar bola, entrar na internet e viajar pelo mundo. Como todos brasileiros.

Os índios têm todo direito de explorar suas terras para ganhar dinheiro. Muito dinheiro. A Funai, com o fundamento comunista, quer ver os índios todos pobres. Não há ninguém na Funai disposto a discutir a criação de riqueza entre os índios. Pelo contrário. Quanto mais pelados andarem pela floresta, mais os integrantes da Funai ficam felizes. E ficam felizes recebendo o dinheiro que você paga de impostos. 

Os índios precisam ser emancipados. A Funai precisa ser extinta. O garimpo, o extrativismo, a plantação em grande escala e o turismo precisam ser estimulados nas terras indígenas. Com os índios ganhando dinheiro e investindo, eles serão os maiores protetores da Amazônia. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os trinta anos da internet como nós a conhecemos hoje

Humberto Martins sai de cena em verão 90

Três abordagens sobre Venezuela